FlixBus, a ‘Uber de ônibus’ na Europa, expande atuação em Portugal

Empresa vinculou-se à Associação Portuguesa de Agências de Viagens e Turismo para aumentar pontos de venda no país

ALEXANDRE PELEGI

A FlixBus, uma startup alemã conhecida por ser uma espécie de “Uber de ônibus” na Europa, tornou-se associada da Associação Portuguesa de Agências de Viagens e Turismo (APAVT).

Operando o transporte rodoviário de longa distância no continente europeu, a FlixBus foi bem recebida pela Associação Portuguesa. Em comunicado, a startup afirmou estar inserida “na estratégia de afirmação do operador no mercado português e no rescaldo do anúncio da expansão em Portugal”.

Pablo Pastega, diretor geral da FlixBus em Portugal e Espanha, reconhece que a APAVT é uma associação de renome no panorama do turismo em Portugal, com uma extensa rede de parceiros de referência, incluindo agências que já colaboram com a FlixBus a nível local. O objetivo da empresa é alcançar mais pontos de venda para chegar a mais portugueses.

Pedro Costa Ferreira, presidente da APAVT, elogiou a adesão da FlixBus à Associação, afirmando que a aposta na distribuição turística nacional, feita pela empresa, merece todo o apoio.

Com 20 linhas internacionais diretas entre Portugal e o resto da Europa, a FlixBus para em mais de 20 cidades portuguesas, alcançando cerca de 50 destinos europeus.

Todas as ligações são feitas com uma frota de ônibus novos, com rígidas normas de segurança, conforto e baixas emissões de gases, segundo a normativa EURO VI.

A expansão da atuação da FlixBus em Portugal acontece em sintonia com a abertura do mercado de transporte “Expressos” que, acredita-se, deverá revolucionar o setor dos transportes de longa-distância no país.

Já no Brasil, com modelo operacional similar ao da FlixBus, a Buser segue enfrentando dificuldades pelo lado judicial, com uma série de ações na justiça movidas por empresas regulares de transporte rodoviário interestadual.

Apesar disso, como mostrou o Diário do Transporte, a empresa de aplicativo que se apresenta como intermediadora entre passageiros e companhias de ônibus fretados em viagens interestaduais promete investir R$ 300 milhões nos próximos 12 meses em ações de marketing, desenvolvimento de tecnologia e expansão pelo País.

O dinheiro é resultado de parte de investimentos realizados pelo grupo japonês SoftBank, conhecido por injetar bilhões de dólares em startups brasileiras. Relembre: Buser anuncia que investirá R$ 300 milhões após aporte de banco japonês

Marcelo Abritta, fundador da Buser, revelou que parte do investimento será utilizada para fazer testes no transporte municipal, com ônibus operando linhas fixas dentro de grandes cidades. Apesar de o mercado da capital de São Paulo ser o mais atrativo para o modelo, Abritta afirma que a ideia é iniciar por cidades menores “para aprender”. Ele garante alguns pilotos serão realizados em 2020.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Comments

comments

Leave a Reply